Por que os alunos de Psicologia precisam fazer terapia?



Sempre que tenho a oportunidade de dizer algumas poucas palavras para quem está cursando psicologia, tenho dito: Invista primeiro em você, faça psicoterapia!


O pouco esclarecimento ofertado na universidade sobre a realidade da profissão, leva muitos estudantes de psicologia a iludir-se, acreditando que pelo fato de dedicar cinco anos de sua vida aos estudos puxados da faculdade, o estudante torna-se após esse processo um psicólogo totalmente preparado para dar início a sua vida profissional. Infelizmente posso afirmar que essa perspectiva não condiz com a realidade, em todas as áreas, mas principalmente quando falamos do contexto clínico.


Primeiramente porque acredito que nunca estaremos completamente preparados para lidar com a complexidade da subjetividade humana e com as surpresas que ocorrem no consultório, mas minimamente a terapia ajuda a aperfeiçoar os recursos mais apropriados para compreender a si mesmo e consequentemente o outro.


À medida que fazemos terapia, passamos a ter maior conhecimento sobre nós mesmos, nos tornamos capazes de compreender aquilo que nos motiva, nos frustra, compreendemos nossos verdadeiros desejos e medos e esse conhecimento todo é uma ferramenta importantíssima nas mãos de um bom psicoterapeuta. Afinal, não se pode dar conta de cuidar e compreender o outro, quem não for capaz de cuidar e compreender a si mesmo.


Embora a terapia não seja obrigatória aos alunos de psicologia, faz todo sentido que ela seja frequentemente recomendada durante o curso, pois quanto mais cedo o estudante começar a se familiarizar com a profissão, mais chances ele terá de exercer seu papel de forma satisfatória.


Outra questão importante para estudantes e profissionais da área de psicologia, é que a terapia propicia ao profissional não confundir sua própria demanda com a do paciente, e isso é fundamental para que o futuro psicólogo possa realizar um trabalho eficaz e saudável quando tiver sua própria clínica.


Finalizo esse texto usando uma frase citada por Freud em 1926 que diz: “O psicanalista deve constantemente analisar a si mesmo. Analisando a nós mesmos, ficamos mais capacitados a analisar os outros”.


Pense nisso e lembre-se que no consultório, você será sua principal ferramenta de trabalho, e por isso precisará estar bem emocionalmente, seguro e confiante.


Bárbara Rezende

Psicóloga Clínica – CRP 06/130188


Posts Em Destaque
Posts Recentes