Adolescência e os conflitos entre pais e filhos.


É natural que durante a adolescência mudanças significativas ocorram na relação com os pais, podendo ser permeada de diversos conflitos.


Durante essa etapa do desenvolvimento, o sujeito começa a diferenciar-se das figuras parentais, buscando separar suas crenças do que lhe foi ensinado, avaliando pela primeira vez na vida aquilo que ele concorda de fato, daquilo que tentaram lhe transmitir ao longo de sua infância. Esse é um processo natural de construção da identidade.


Escuta-se muitos pais queixando-se do comportamento desafiador e irritante dos filhos adolescentes, pois agora eles preferem trancar-se no quarto ao invés de estar na companhia dos pais, não dividem os problemas com a mãe, e sim com os colegas de escola, mentem sobre os lugares onde estiveram e reclamam deliberadamente das regras que lhe são impostas.


Desafiar o sistema familiar, é um processo natural da adolescência, que tende a cessar conforme o adolescente for descobrindo sua própria identidade e seu papel social no mundo. A flexibilidade dos pais e o estabelecimento de regras na medida certa, é parte fundamental do reequilíbrio emocional dos filhos durante essa etapa do desenvolvimento tão bela e ao mesmo tempo tão turbulenta. Cabe aos pais não confundir autoridade com autoritarismo, permitindo que o adolescente liberte-se da relação dependente que estabelecia antes para uma vivencia autônoma.


O que percebe-se é que muitas vezes são os pais quem estão muito apegados aos filhos, receosos e repleto de cuidados excessivos eles não permitem que os filhos cresçam e encaram o comportamento do adolescente como um simples ato de rebeldia.


É importante deixar claro que ter flexibilidade não significa deixar o filho fazer tudo o que bem entender muito pelo contrário, o estabelecimento de regras concretas mostra ao adolescente que ele pertence a um ambiente seguro, capaz de suportar suas fragilidades, quando elas virem à tona.


Pais que sentem dificuldades em equilibrar o estabelecimento de regras com a flexibilidade, ou até mesmo em lidar com as atitudes advindas da adolescência, podem contratar a ajuda profissional de um psicólogo, a fim de reestabelecer a harmonia familiar. Podendo utilizar-se dos benefícios ofertados pela terapia familiar, ou até mesmo pela orientação de pais.


Lembre-se que sua família é uma unidade, porém composta de uma pluralidade de pensamentos distintos. Sendo assim, educar os filhos com afeição, diálogo e compreensão é um caminho muito mais seguro para que eles cresçam emocionalmente saudáveis e felizes.


Psicóloga Bárbara Rezende


Posts Em Destaque
Posts Recentes